domingo, 9 de julho de 2017

Crise no Rio: hospitais demitem médicos e paralisam emergências


A crise na saúde pública do Rio de Janeiro se agrava a cada dia. Em apenas duas semanas, o Hospital Estadual Getúlio Vargas demitiu mais de 50 médicos. Grande parte das dispensas foi na emergência, que atende cerca de 14 mil pacientes por mês. Nos setores de Urologia e Proctologia não sobrou nenhum servidor; todos os médicos foram demitidos e o atendimento foi transferido para um outro hospital estadual, o Pedro Ernesto, que também está em crise. Internações e transferências foram suspensas há uma semana e o número de cirurgias foi reduzido em 40%.